RUA DR. SODRÉ 122, CONJUNTO 15, VILA NOVA CONCEIÇÃO - SÃO PAULO-SP

Mentoplastia

Mentoplastia (Cirurgia do Queixo)

O mento ou queixo é um dos elementos dominantes do terço inferior da face. Quando se apresenta com forma e dimensões adequadas, em associação com as outras estruturas do rosto, desempenha um papel importante no desenvolvimento de um conjunto facial harmônico. Alterações de seu tamanho, por falta ou excesso, provocam uma quebra dessa harmonia, determinando um comprometimento da estética.


Geralmente, é o cirurgião plástico que alerta o paciente quanto ao hipomentonismo (falta de projeção do mento) e a possibilidade de correção para melhora estética da face. O hipomentonismo causa uma diminuição do terço inferior da face e é mais facilmente diagnosticado com o paciente de perfil, o que dificulta a percepção deste defeito pelo próprio paciente.


A mentoplastia para correção do hipomentonismo pode ser realizada de duas formas cirúrgicas: osteotomia do mento ou próteses de mento. A osteotomia do mento consiste em um avanço ósseo do mento e fixação deste na posição adequada. As próteses de mento são procedimentos mais simples, onde se utiliza prótese feita de silicone coesivo ou de polietileno poroso, que serão implantadas adjacentes ao osso do mento para aumentar a projeção e o tamanho deste.


Informações Importantes

O queixo constitui um dos principais pontos de referência no estudo estético da face.

O queixo ideal deverá observar um posicionamento dentro de certos limites estéticos, fazendo um conjunto harmônico juntamente com outros setores como o nariz, olhos, boca, etc. Poderá se apresentar em posição mais avançada ou mais retraída, em relação ao seu posicionamento ideal. Para ambos os casos existem correções cirúrgicas.

A mentoplastia mais comum é aquela que visa corrigir o retro-posicionamento (queixo retraído), por meio da inclusão de uma peça de silicone, ou outro recurso disponível ao arsenal cirúrgico do médico. Assim é que infalivelmente certas perguntas serão feitas, merecendo como conseqüência respostas simples e objetivas, tais como:

1) Onde se localizam as cicatrizes?

Em casos de inclusão de próteses de silicone, poderá ser feita uma cicatriz interna (dentro da boca) ou mediante uma pequena incisão na parte inferior do queixo. Ficará a critério de cada cirurgião plástico a indicação da cicatriz. Em caso de enxertia de gordura (indicada em restritos casos), não existirá cicatriz.

2) Qual o tipo de anestesia?

Se se tratar de correção exclusivamente do mento, a anestesia é a local (com ou sem sedação, dependendo do caso). Se for associada a outras cirurgias, o cirurgião ponderará quanto à conveniência de se realizar o ato cirúrgico sob anestesia local ou geral.

3) Como é a peça de silicone que será introduzida?

O cirurgião geralmente modela a peça ou se utiliza de peças pré-moldadas (existem vários tamanhos), que poderão ser apresentadas ao (à) paciente durante as entrevistas pré-operatórias.

4) O silicone é perigoso? Poderá ocasionar câncer?

Há mais de 35 anos vem sendo empregado o silicone na forma sólida, em todo o mundo, com milhares de pacientes operados, sem que se tenha assinalado a presença de ação cancerígena deste produto. Trata-se de substância inerte ao organismo e que se mantém em seu lugar de introdução, dentro de uma cápsula fibrosa que o próprio organismo se encarrega de elaborar, logo nos primeiros dias. Raros são os casos de eliminação da peça. Quando isto acontece (geralmente devido a problemas no pós-operatório imediato por infecção, traumatismo sobre a área operada, hemorragia, etc.), retira-se a peça mediante simples cirurgia sob anestesia local, sem ficar qualquer sequela. Posteriormente poderá ser reintroduzida nova peça.

5) Há dor no pós-operatório?

Geralmente não. Mesmo que ocorra uma discreta dor, é possível neutralizá-la com o uso de analgésicos comuns.

6) Serão necessários curativos?

Sim. Costuma-se fazer um tipo de curativo local com a finalidade de ajudar a manter a prótese imobilizada. Este curativo serve também como proteção aos eventuais traumatismos que possam ocorrer nos primeiros dias.

7) Quantos dias deverei ficar de repouso?

Dependendo da atividade, apenas 1 dia. Casos especiais poderão determinar cuidados relativos por 8 a 10 dias, sem contudo necessitar-se de repouso absoluto.

8) Qual o maior cuidado que se deve tomar antes da operação?

Informar-nos quanto à intercorrência de algum dente inferior infeccionado ou inflamado. Caso ocorra esta eventualidade, solicite de seu dentista que a trate, antes mesmo de procurar-nos para a cirurgia de mentoplastia.

9) Minha fisionomia mudará muito com esta cirurgia?

Não deverão ocorrer grandes alterações fisionômicas. Apenas haverá um melhor equilíbrio de sua fisionomia, mantendo suas características individuais.

10) Esta cirurgia poderá ser associada à Rinoplastia?

Em muitos casos o próprio cirurgião recomenda a associação das duas cirurgias, visando um melhor equilíbrio estético da face. A isto denominamos “perfiloplastia”.

 

Pré e Pós Operatórias

A) Recomendações Pré-Operatórias

1. Comunicar-se conosco, até a véspera da cirurgia, casos de virose, febre, infecção na garganta e, principalmente, algum dente da arcada inferior que esteja infeccionado ou inflamado (neste caso há que tratá-lo antes de se submeter à Mentoplastia).
2. Internar-se no hospital ou clínica determinado, no dia e hora indicados na guia de internação.
3. Em caso de anestesia geral, manter o jejum de 12 horas. Se for anestesia local, permite-se refeição leve até 2 horas antes da cirurgia.
4. Compareça acompanhado à internação.

B) Recomendações Pós-Operatórias:

1. Evitar friagem, sol e traumatismos no local da cirurgia nos 20 primeiros dias de pós-operatório.
2. Retornar ao consultório nos dias e horários estabelecidos.
3. Escovar os dentes com muito cuidado, usando apenas escova macia e pequena (infantil).
4. Obedecer à prescrição médica.
5. Não se preocupar com o “inchaço” natural do queixo, que poderá persistir por 4 semanas.
6. Alimentação livre. Evitar alimentos sólidos que exijam mastigação intensa nos primeiros 4 dias.
7. Permanecer em seu domicílio nas primeiras 24 horas após a alta hospitalar.
8. Voltar ao trabalho após o 5º dia de pós-operatório.
9. Caminhadas esportivas somente após 20 dias de pós-operatório.
10. Esporte que necessite colocar a face e o pescoço em movimento ou que coloque esta região em risco, só após 30 dias.
11. Sol direto e intenso liberado após 45 dias, mas com uso de protetor solar e desde que não apresente manchas rochas.
12. Para mulheres: maquiagem possível após 5 dias.
13. Para homens: barbear-se com cuidado na área operada após 5 dias.
14. Alta completa: após seis meses, quando será feita nova sessão de fotos para avaliação da qualidade dos resultados.
15. Caso necessite se submeter a uma cirurgia de retoque ou refinamento do procedimento feito, lhe será indicada qual a data mais conveniente e apropriada para isto.